Ficha Unidade Curricular (FUC)

Informação Geral / General Information


Código :
L5237
Acrónimo :
L5237
Ciclo :
1.º ciclo
Línguas de Ensino :
Português (pt)
Língua(s) amigável(eis) :
Inglês

Carga Horária / Course Load


Semestre :
2
Créditos ECTS :
6.0
Aula Teórica (T) :
15.0h/sem
Aula Teórico-Prática (TP) :
15.0h/sem
Aula Prática e Laboratorial (PL) :
9.0h/sem
Trabalho de Campo (TC) :
0.0h/sem
Seminario (S) :
0.0h/sem
Estágio (E) :
0.0h/sem
Orientação Tutorial (OT) :
1.0h/sem
Outras (O) :
0.0h/sem
Horas de Contacto :
40.0h/sem
Trabalho Autónomo :
110.0
Horas de Trabalho Total :
150.0h/sem

Área científica / Scientific area


Psicologia

Departamento / Department


Departamento de Psicologia Social e das Organizações

Ano letivo / Execution Year


2023/2024

Pré-requisitos / Pre-Requisites


Ser aluno de psicologia. A inscrição nesta UC em vagas de mobilidade está reservada aos estudantes que se encontram a realizar formação de 1º ou 2º ciclo em Psicologia

Objetivos Gerais / Objectives


A unidade curricular de Avaliação Psicológica (AP) pretende fornecer uma visão ampla sobre diferentes tipos de procedimentos e instrumentos de avaliação psicológica, e em diferentes contextos, de modo a desenvolver as competências necessárias à sua utilização na avaliação de indivíduos. Neste sentido, promover-se-á o desenvolvimento de competências de escolha e utilização de instrumentos, bem como de análise dos respectivos resultados, adequando-os ao objetivo da avaliação. Pretende-se igualmente desenvolver nos alunos uma análise crítica sobre o processo de AP.

Objetivos de Aprendizagem e a sua compatibilidade com o método de ensino (conhecimentos, aptidões e competências a desenvolver pelos estudantes) / Learning outcomes


O aluno que complete com sucesso esta unidade curricular será capaz de: OA1: Identificar e explicar os fundamentos teóricos e históricos da Avaliação Psicológica (AP); OA2: Caracterizar e distinguir as diferentes fases do processo de AP, em função dos contextos onde esta é feita; OA3: Caracterizar e distinguir os diferentes tipos e áreas de aplicação da AP; OA4: Identificar e distinguir diferentes técnicas e instrumentos de AP, sabendo demonstrar a sua relevância a áreas de aplicação distintas; OA5: Adquirir um conjunto de competências iniciais (por exemplo, condução de entrevistas de avaliação psicológica) que lhe permita treinar as primeiras competências em avaliação psicológica.

Conteúdos Programáticos / Syllabus


CP1: Introdução à avaliação psicológica: história, contextos, potencialidades e limites; considerações éticas e deontológicas. CP2: A avaliação psicológica enquanto processo. CP3: Metodologias básicas em Avaliação Psicológica: observação, entrevista e métodos complementares de avaliação. CP4: Técnicas de avaliação da inteligência e de funções cognitivas e neuropsicológicas. CP5: Técnicas (objetivas, projetivas e semi-projetivas) de avaliação da personalidade. CP6: Outras técnicas e instrumentos de avaliação psicológica em função dos contextos de avaliação psicológica.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino e avaliação com os objetivos de aprendizagem da UC / Evidence that the teaching and assessment methodologies are appropriate for the learning outcomes


Nesta unidade curricular os objetivos de aprendizagem (OA) são concretizados em conteúdos programáticos (CP), a saber: - OA1 e OA3 em CP1; - OA2 em CP2; - OA4 e OA5 em CP3, CP4, CP5 e CP6.

Avaliação / Assessment


Regime de avaliação: periódica ou final (exame 1ª/2ª épocas) Periódica: uma frequência individual (55%); um trabalho prático de grupo com entrega de relatório escrito (30%) e uma apresentação oral de grupo (15%). Nota mínima nos elementos da avaliação contínua: 8,5 valores. Aprovação: média final igual ou superior a 9,5 valores. Em avaliação periódica os alunos terão necessariamente de realizar os dois trabalhos descritos e a frequência individual. Exame final: 100% da nota final.

Metodologias de Ensino / Teaching methodologies


Metodologias de ensino planeadas: - Expositivas; - Metodologias participativas e ativas: role-play, discussão de vídeos, cotação de protocolos, exercícios práticos e trabalhos de grupo. Distribuição das 110 h de trabalho autónomo: 40 h para a frequência (38h de estudo + 2h teste); 20 h para o trabalho das TP + 50 h para trabalho das PL (preparação do trabalho, condução de entrevista; análise de resultados; elaboração do trabalho escrito).

Demonstração da coerência das metodologias de ensino e avaliação com os objetivos de aprendizagem da UC / Evidence that the teaching and assessment methodologies are appropriate for the learning outcomes


Os alunos são encorajados a realizar esta unidade curricular em regime de avaliação contínua, uma vez que se considera que os vários elementos de avaliação nela contidos possibilitam medir se os OA foram alcançados com sucesso pelos alunos. Em termos gerais: As aulas teóricas, de cariz expositivo e em grande grupo, estão alinhadas com todos os OA (conhecimentos); as TP encontram-se alinhadas com OA3, OA4, OA5 (atitudes e competências/skills), e as PL com OA4 e OA5 (atitudes e competências/skills). O trabalho autónomo encontra-se alinhado com todos os OA. Mais concretamente: - O trabalho prático de apresentação oral (formato poster) de um contexto de avaliação psicológica/questões éticas das TP está alinhado com OA2 e OA3. - O trabalho de grupo das PL (i.e., um estudo de caso), que implica a aplicação de técnicas de avaliação psicológica (por exemplo, entrevista) e uma reflexão crítica sobre potenciais instrumentos de avaliação psicológica a aplicar hipoteticamente, a consequente apresentação oral e a elaboração de um relatório escrito, está alinhado com OA4 e o OA5 (atitudes e competências/skills). - A frequência/teste individual de conhecimentos encontra-se alinhado com todos os OA. Considera-se, também, que em regime de avaliação contínua os alunos poderão desenvolver um trabalho autónomo mais rico, com um melhor aprofundamento dos conhecimentos teóricos, um melhor treino de competências práticas, fomentando-se a motivação e o gosto pelo trabalho em equipa, bem como por uma conduta ética apropriada. Os alunos são também encorajados a utilizar o tempo de orientação tutorial para tirar dúvidas e para discutir as horas de trabalho autónomo aqui estimadas.

Observações / Observations


Importa acrescentar as seguintes informações: -Materiais pedagógicos utilizados nas aulas são disponibilizados aos alunos nas plataformas de e-learning/fénix. -A unidade curricular inclui horário de atendimento aos alunos, a definir com cada docente (presencial/ISCTE, e-mail, Skype/Zoom).

Bibliografia Principal / Main Bibliography


Almeida, L.S., Simões, M.R., & Gonçalves, M.M. (Eds) (2014). Instrumentos e contextos de avaliação psicológica (Vol. 3). Coimbra: Almedina. Almeida, L.S., Simões, M.R., Machado, C., & Gonçalves, M.M. (Coords.) (2004).Avaliação psicológica: Instrumentos validados para a população portuguesa (Vol. 2). Coimbra: Quarteto. Gonçalves, M.M., Simões, M.R., Almeida, L.S., & Machado, C. (Coords.) (2003). Avaliação psicológica: Instrumentos validados para a população portuguesa (Vol. 1). Coimbra: Quarteto. Groth-Marnat, G. (2003). Handbook of psychological assessment (4th Ed.). New York: Allyn & Bacon. Machado, C., Gonçalves, M., Almeida, L., & Simões, M. (2011). Instrumentos e contextos de avaliação psicológica (vol. 1). Coimbra: Almedina. Simões, M.R., Machado, C., Gonçalves, M.M., Almeida, L.S. (Coord.) (2007). Avaliação psicológica: Instrumentos validados para a população portuguesa (Vol. 3). Coimbra: Quarteto.

Bibliografia Secundária / Secondary Bibliography


Almeida, L., Guisande, M., & Ferreira, A. (2009). Inteligência: Perspectivas teóricas. Coimbra: Almedina. Ceitil, M. (2006). Gestão e desenvolvimento de competências. Lisboa: Edições Sílabo. Duarte, M.E. (2011). Avaliação psicológica na intervenção vocacional: Princípios, técnicas e instrumentos. In M. Taveira & J. T. Silva (Coord).Psicologia vocacional: Perspectivas para a intervenção. Coimbra: Imprensa da Universidade de Coimbra. Gonçalves, R.A., & Machado, C. (Coords.) (2005). Psicologia forense. Coimbra: Quarteto. Férnandez-Ballesteros, R. (1992). Introducción a la evaluación psicológica I y II. Madrid: Pirâmide. Leitão, L.M. (coord.) (2004). Avaliação psicológica em orientação escolar e profissional. Coimbra: Quarteto. Simões, M. (1994). Notas em torno da arquitectura da avaliação psicológica. Psychologica, 11, 7-44. Simões, M. (2000). Investigações no âmbito da aferição nacional do teste das matrizes progressivas coloridas de Raven (M.P.C.R.). Lisboa: Fundação Calouste de Gulbenkian. Simões, M. (2002). Implicações éticas e deontológicas subjacentes ao trabalho de adaptação e aferição de instrumentos de avaliação psicológica: O caso da versão portuguesa da WISC-III. Psychologica, 30, 387-406.

Data da última atualização / Last Update Date


2024-02-16